Austrália mata coalas porque estavam famintos

Eutanásia: Austrália mata centenas de coalas que passavam fome

Ação provocou polêmica entre defensores dos animais

As autoridades australianas mataram quase 700 coalas que estavam condenados a morrer de fome em consequência da superpopulação da região. A ação provocou indignação entre os grupos de defesa dos animais.

Os coalas foram anestesiados e depois mortos em 2013 e 2014 na região de Cape Otway, costa sudeste da Austrália, anunciou a ministra do Meio Ambiente do Estado de Victoria, Lisa Neville.

– A operação era indispensável para evitar o sofrimento dos coalas que não tinham como se alimentar, em consequência da superpopulação na região – disse a ministra, que, no momento da "eutanásia", não estava no governo.


Sem folhas de eucalipto, seu alimento preferido, os coalas eram obrigados a comer a casca das árvores, o que não os nutria de forma suficiente. Os animais sofriam uma longa agonia e os cadáveres cobriam a costa, declarou o gerente de um camping da região, Frank Fotinas.

– Os coalas que morriam de fome eram mais numerosos que os submetidos à eutanásia – contou Fotinas.

Lisa Neville declarou que um grupo de especialistas está trabalhando para melhorar as condições de vida dos coalas, mas não descartou novas operações similares. Em 2013 e 2014 foram eliminados 686 coalas.

– A experiência mostra que o deslocamento dos coalas não funciona e pode, ao contrário, provocar mais sofrimento. Devemos revisar a estratégia de gestão dos coalas para conter o crescimento da população, que continua a um ritmo muito intenso. – afirmou a ministra ao canal ABC.

A fundação Australian Koala, que calcula a existência de 100 mil coalas no país, denunciou a atitude das autoridades.

– O que fizeram é chocante. Por que deixaram que a situação se deteriorasse? – questionou a diretora executiva da fundação, Deborah Tabart.

Superpopulação

O zoólogo e especialista em coalas Desley Whisson explicou que a população de Cape Otway aumentou muito desde a introdução de coalas retirados de French Island, uma ilha do Estado de Victoria transformada em santuário no século 20 para proteger os animais dos caçadores.

A escassez de animais predadores na ilha, como a águia wedge tailed, favoreceu a reprodução nos anos 80, provocando uma situação crítica, o que resultou na transferência de muitos coalas para Cape Otway.

Whisson defendeu a intervenção das autoridades ao argumentar que a medida significou "tirar os coalas de seu destino miserável".

Apesar do anúncio ter provocado uma grande comoção, o cenário em Cape Otway é excepcional, pois a população dos pequenos animais, muito vulnerável, diminui rapidamente com a perda de seu habitat, as doenças, os ataques dos cães e os incêndios florestais. Mas um dos principais fatores de mortalidade é a clamídia, uma doença transmitida sexualmente que provoca a esterilidade.

Quando os primeiros colonos chegaram à Austrália em 1788, a população de coalas era de quase 10 milhões. Como vivem nas copas das árvores é difícil avaliar exatamente a população atual que, segundo diversas fontes, varia de 45 mil a 100 mil.


*AFP  

Última modificação emQuarta, 06 Maio 2015 17:08
(0 votos)
Ler 1038 vezes

Deixe um comentário

Log in

fb iconLog in with Facebook
create an account